Saúde Express


Informativo

Hidroginástica para gestante

Descubra a importância da hidro na gestação

A hidroginástica vem ganhando cada vez mais espaço dentro das academias, principalmente para as gestantes, pois traz uma série de benefícios para a mãe e para o bebê.

Cada aula tem um objetivo específico para ser atingido, mas o conjunto das aulas, estará sempre voltado para trabalhar mente e corpo.

Os exercícios incluirão a parte de alongamento, aeróbica, que trabalhará todos os músculos do corpo, dando assim um maior condicionamento físico para a gestante, assim como o fortalecimento de músculos específicos, como os abdominais. Serão feitos também exercícios para dar um melhor equilíbrio à gestante, já que o peso está em demasia na parte frontal.

No trabalho emocional, são dados exercícios respiratórios que visam melhorar a parte circulatória, deixando a gestante mais relaxada, menos ansiosa, ajudando-a a melhorar a auto-estima e o auto-controle. O contato com a água é ao mesmo tempo estimulante e relaxante. A gestante que pratica a hidroginástica tem um sono mais profundo durante a noite. Com tudo isso, o bebê estará sendo favorecido e apresentará um desenvolvimento sadio dentro do útero.

Em geral, as gestantes estão liberadas para a hidroginástica após o terceiro mês de gestação, mas é importante ressaltar, que para iniciar essa modalidade, é preciso de uma autorização do obstetra, o que toda academia ou profissional da área deve exigir. A gestante poderá praticar a hidroginástica durante toda a sua gestação, salvo se a recomendação médica a impedir, como é o caso de gravidez de risco. Poderá também, após o resguardo, voltar a praticá-la, iniciando de modo suave e aumentando gradativamente os exercícios, para que volte rapidamente ao peso e forma que tinha antes da gravidez.

 

 

Hidroginástica para Gestantes

Diferentemente de outros tempos, hoje em dia as mulheres não ficam esperando, quase de “quarentena”, que passem os 9 meses de gestação. Na sua grande maioria, elas trabalham fora, estudam e, sobretudo, preparam-se ativamente para a chegada do bebê.

Entre as conquistas modernas podemos colocar a Hidroginástica! Ela contribui muito para uma gravidez mais tranquila, bem como melhora as condições físicas para o parto e o pós-parto, onde se destacam os seguintes ganhos:

Vantagens da Hidroginástica

Melhora na execução dos movimentos através de diminuição da massa corporal, com menos impacto nas articulações;

Fortalecimento dos músculos abdominais, reduzindo a sobrecarga na coluna vertebral;

Melhora na circulação sanguínea, diminuindo a possibilidade de varizes;

Aumento da capacidade cárdio-pulmonar, beneficiando gestante e bebê;

Diminuição da retenção de líquido e, com isso, de edema (inchaço);

Por ser executada em água morna, há um aumento da flexibilidade e amplitude dos movimentos;

Pode ser praticada por gestantes que não sabem nadar;

E, se não bastasse tudo isso, ainda possibilita a troca de experiências com outras gestantes, pela convivência nas aulas.

Vale lembrar, por último, mas não menos importante, que os objetivos propostos são plenamente atingidos quando os exercícios são associados a dois outros importantes aspectos:

As visitas regulares ao seu médico de confiança, durante o pré-natal;

Uma alimentação saudável, pelo menos durante o período gestacional.

 

-- 

Hidroginástica na gravidez diminui as dores na hora do parto

Estudo brasileiro analisou grávidas e constatou que as que praticaram o exercício pediram menos analgésico no momento das contrações

Ana Paula Pontes

 

Você está grávida, quer praticar alguma atividade física, mas ainda tem dúvida sobre a segurança de exercícios durante os nove meses. Entre as opções a hidroginástica é uma das que mais atraem as gestantes. E uma pesquisa realizada pela Universidade de Campinas (Unicamp) reforça os benefícios da atividade: além de manter a boa forma, o exercício ainda pode minimizar as dores na hora do parto.

O estudo avaliou 71 grávidas e, destas, 34 fizeram hidroginástica três vezes por semana, por 50 minutos. De acordo com os resultados, 27% delas solicitaram algum analgésico no momento das contrações, contra 65% do outro grupo. Ou seja, a atividade na água ajudou a diminuir as dores no trabalho de parto.

Segundo Rosa Inês Costa Pereira, anestesiologista e professora da Unicamp, e uma das responsáveis pelo estudo, uma das explicações é que a prática melhora as condições psicofísicas das mulheres. Na hidroginástica, elas se reúnem, têm oportunidade de conversar com outras gestantes várias vezes na semana e sabem, ainda, que estão cuidando do corpo. “O principal da análise foi mostrar que a hidroginástica não acarretou em bebês prematuros ou de baixo peso”, diz. 

E não há problema se você não faz nenhuma atividade física regularmente e decide começar enquanto espera o bebê nascer. Se o obstetra autorizar, é possível fazer hidroginástica durante a gestação sem problemas para você e seu filho. “Por segurança, o ideal é iniciar a prática, regular e moderada, a partir da 20ª. Semana”, afirma Rosa.

Hidroginástica durante a gestação aumenta a quantidade de líquido amniótico

Praticar hidroginástica durante a gravidez1 aumenta em até 21,5% o volume de líquido amniótico, segundo estudo realizado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Participaram do estudo 25 gestantes sadias, com idade entre 19 e 36 anos, no Hospital das Clínicas de Campinas. Foram excluídas do estudo mulheres com antecedentes de duas ou mais cesáreas, gravidez1 de risco ou em condições de contra-indicação para a prática de atividade física, como hipertensão arterial2 e história de abortos de repetição.

Segundo o professor José Guilherme Cecatti, orientador do estudo, as gestantes foram submetidas a aulas de hidroginástica três vezes por semana. O volume de líquido amniótico era medido antes e depois de uma aula com duração de 50 minutos.

Entre as mulheres analisadas, nenhuma teve parto prematuro e nenhum bebê nasceu com baixo peso. Além disso, todas as mães conseguiram manter o ganho de peso considerado ideal durante a gravidez1.

Existem outros estudos mostrando que as gestantes que realizam atividades físicas na água são mais preparadas para suportar a dor durante o trabalho de parto em comparação com aquelas que não praticam este tipo de atividade física. Além disso, as que fizeram hidroginástica reduziram os desconfortos lombares do final da gravidez1.

 

A produção e a absorção do líquido amniótico dependem de uma série de mecanismos interdependentes entre o feto, a placenta, as membranas e o organismo materno. Entre as suas principais funções, destacam-se o crescimento externo simétrico do embrião, barreira contra infecções, proteção do embrião contra traumatismos sofridos pela mãe, auxílio no controle da temperatura corporal do feto. Também permite que o feto se mova livremente, contribuindo para o seu desenvolvimento muscular.

 

Fonte: Unicamp