Saúde Express


Informativo

Benefícios do Circuito Express

Surpreendente e mais que comprovado

Esta é uma situação que todo professor já deve ter visto: duas alunas com mesmo peso, praticando a mesma atividade física, queimando o mesmo número de calorias e o mesmo objetivo: perder peso.?Uma vai à academia 3 vezes por semana e, por ser ocupada, faz só meia hora de exercícios mas em intensidade alta; a outra, mais determinada, frequenta a academia todos os dias, começando sempre com 60 minutos de esteira em intensidade moderada.?No final, apesar de a aluna “determinada” ter passado 5 horas por semana na esteira, a aluna “ocupada”, que não gastou mais do que 1,5hora por semana de treinamento, acabou entrando em forma mais rápido.

A pergunta é: por quê??Luiz Carlos Carnevali Junior, coordenador de Cursos de Pós-Graduação em Educação Física na Universidade Gama Filho, tem a explicação: “Quando a pessoa quer emagrecer, por que se recomenda a prática de exercícios?”, pergunta ele.?Se você respondeu “para gerar queima calórica”, errou. “O verdadeiro objetivo”, diz Carnevali, que há 10 anos estuda o processo envolvido no emagrecimento, “é causar um processo inflamatório na musculatura. Não importa somente o número de calorias gastas durante o esforço”.

 

“Quando se fala em emagrecimento, é errado pensar no substrato energético a ser utilizado durante o esforço, bem como, na queima calórica”, explica ele. “O princípio por trás da prática do exercício é causar um processo inflamatório nas células e a partir deste provocar uma reação anti-inflamatória no organismo. Quanto maior a inflamação, obviamente seguindo princípios e variáveis do treinamento desportivo, mais eficiente é a resposta”.?Em seu livro "Exercício, emagrecimento e treinamento intenso: Aspectos fisiológicos e metodológicos", lançado em abril de 2011, Carnevali defende a teoria de que a execução de atividades de curta duração e alta intensidade, além de economizarem tempo, apresentam resultados semelhantes e até mesmo mais eficientes do que aqueles obtidos nas atividades aeróbicas tradicionais. ??Neste sentido, defende a prática do treinamento de força (resistência) e atividades aeróbias de alta intensidade no lugar da tradicional atividade aeróbica em intesidade moderada. “Dizer que apenas o trabalho aeróbico emagrece é pura lenda urbana.

 

Na verdade, o treinamento de força gera intensidade mais elevada de adaptação metabólica do que o trabalho aeróbico de baixa intensidade”, alega ele, que tem mestrado e doutorado em Biologia Celular e Molecular pela Universidade de São Paulo (2006 / 2011) e larga experiência nas áreas de fisiologia do exercício, atividade física e saúde.