Saúde Express


Informativo

Malhar no molhado

Artes marciais, musculação e até massagem entram nas piscinas das academias

Malhar no molhado

 

Artes marciais, musculação e até massagem entram nas piscinas das academias

Os movimentos vigorosos da bicicleta , da esteira e do esqui  ou eliptico aquáticos para a turma que quer pegar no pesado e a calma do watsu, uma massagem na piscina para quem prefere relaxar: a hidroginástica se moderniza e atrai os jovens

 

Hidroginástica era até pouco tempo atrás terreno exclusivo das senhoras idosas, grávidas ou preguiçosas demais para encarar o ritual suado e sofrido dos malhadores sérios. Era. Neste verão, as academias, sempre atrás de maneiras de dar um verniz atraente à perversa atividade que consiste em pular, esticar e empurrar até ficar de língua de fora, resolveram pôr debaixo d'água as artes marciais, a bicicleta ergométrica, a esteira, o alongamento e até a massagem relaxante. Resultado: a velha turma da hidro ganhou a adesão da moçada louca por uma novidade. "Hoje, cerca de 15% dos nossos 18.000 alunos malham na água", estima Vera Lucia Gonçalves, gerente técnica da área aquática da Runner, com oito unidades em São Paulo. Homens, inclusive. "De 10% a 20% dos alunos das aulas aquáticas são homens, que antes simplesmente não compareciam", garante Beatriz Bicalho, coordenadora da BH Rio Sport Center, de Belo Horizonte.

 

Não é para menos. Uma das grandes atrações entre as novas modalidades de exercício aquático é a capoeira. Outra, o kickboxe, aquele festival de socos e pontapés violentos que fez a fama do ator Jean-Claude Van Damme. Ambos, naturalmente, amestrados para o aconchego de uma piscina aquecida. Ainda na linha oriental, mas muito mais zen, entrou na água o tai chi chuan, formidável combinação de equilíbrio e coordenação motora também amenizada para a versão molhada. A Academia Tony Regadas, no Hotel Glória, no Rio de Janeiro, oferece tai chi chuan aquático há um mês, e a aula é concorrida. "A água ajuda, dando sustentação e prolongando os movimentos", afirma a instrutora Elizabeth Migon. O máximo do orientalismo aquático, porém, é o watsu, uma massagem com toques de shiatsu. Nas sessões de quarenta a cinqüenta minutos, paciente e terapeuta permanecem na piscina aquecida a 35 graus. "A água quente, as posições, o aconchego, tudo faz lembrar o útero materno", explica Rodrigo Isaac, terapeuta de watsu na carioca Academia Estilo da Tijuca.

 

Quem prefere pegar no pesado opta pelo hidrospinning, a boa e velha bicicleta aeróbica adaptada para a piscina. Como a bicicleta propriamente dita é cara (12.500 dólares cada) e raríssima nas academias, a turma se vira boiando, com a ajuda de flutuadores, e usando as pernas para imitar, furiosamente, o movimento de pedalar. Mais vigorosos e muito menos virtuais são a esteira para "caminhadas" e o esqui aquático ou eliptico, geringonça mecânica que obriga o atleta a movimentar braços e pernas continuamente. A dentista Luciane Emílio Ortiz, 29 anos, assídua nas aulas de spinning, kickboxe e demais modalidades do programa de hidroginástica do Projeto Acqua, de São Paulo, acha o máximo malhar, malhar e não se esvair em suor e cansaço. "E olha que o esforço é tanto que saio com as bochechas coradas", diz. Esteticamente, compensa? Sim. A hidroginástica vigorosa e constante firma músculos e aprimora contornos, mas, exige alta dose de persistência e paciência. "Dá para ganhar resistência, emagrecer e adquirir massa muscular com exercícios aquáticos. 

 

A favor das atividades físicas na piscina está o fato de que são menos perigosas para músculos e articulações. "O risco é infinitamente menor", garante José Borges Segura, coordenador técnico da Bio Ritmo Academia. "A água diminui muito o impacto do peso do corpo", concorda o ortopedista Antonio Masseo de Castro. "Usa-se a musculatura de outra forma, trabalhando com a própria resistência da água." A universitária paulista Cynthia Incontri, 22 anos, que tem problema de coluna, trocou há um mês a ginástica de pé no chão pela hidroginástica :"Exercitar-se na água é muito mais divertido e empolgante", diz, animada. "Eu saía das aulas cheia de dores. Agora, na água, não sinto nada."

 

Em Macaé oferecemos aula com a hidrobike, hidroeliptico. hidrojump, hidrostep na Academia SaúdeExpress. Experimente nossa aula em circuito.